quarta-feira, janeiro 24, 2007

O bom da Irlanda - Parte 2


A mente humana (pelo menos a minha) é realmente muito bizarra, os pensamentos fluem do preto pro branco, da esquerda pra direita, em questão de segundos. Estava eu outro dia olhando para o rio aqui da minha varanda e vendo os cisnes nadando, gaivotas flanando e corvos gritando (deve ter um nome pro barulho desse bicho) quando reparei que na Irlanda não há pombas, pelo menos não vi nenhuma. Isso foi o que bastava para eu esquecer o lado poético dos animaizinhos irlandeses e começar a divagar sobre o quanto eu odeio pombas. Bichos malditos, nojentos, verdadeiros ratos alados!!! Não consigo pensar em um único motivo que impeça o extermínio dessa espécie de infortúnio e desgraça. E de pensar que tem gente que acha bonitinho e ainda alimenta essas porras é de emputecer ainda mais. Quanto mais elas comerem, mais cagarão em nossas ruas e principalmente em nossas cabeças. E vou além: pombas não gostam de mim, é pessoal. Eu já fui alvejado algumas vezes, sendo talvez a mais marcante o tiro certeiro que levei da Pomba-Mãe enquanto calmamente degustava minha cerveja na calçada do Ugue's. Com certeza era a maior pomba do mundo tendo em vista o tamanho do estrago. Sorte que foi no braço, azar que foi na frente de muita gente, incluindo amigos que lembram (e riem) até hoje. Até quando se trata do vocabulário as pombas são nocivas: nada mais irritante do que aquelas pessoas que pretendem evitar "palavras de baixo calão" e trocam o bom e velho PORRA pela expressão POMBAS! Enquanto muitos acham que trata-se de uma questão de educação, tenho comigo que é uma questão de fraqueza. O mesmo vale para expressões mesquinhas como "putz" e "vai se ferrar". Tá puto, pragueje mesmo, cacete! A licença poética vai apenas para Felipe Barreto, o "Dono do Mundo", que após desvirginar a recém-casada Malu Mader durante a lua de mel da moça só para ganhar do amigo uma caixa de champagne, ainda virou pra ex-donzela e disse: "Foi uma aposta, POMBAS!". Ele pode, ele é o dono do mundo. E lá estou eu passando do meu ódio pelos ignóbeis ratos alados para o meu amor por novela das oito. Minha mente é bizarra mesmo....

4 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Mano Bloka, tá certo que eu também sou um cara que odeia pombas...e olha que em nosso bairro elas são muitas, mas a partir desse ódio transferir a responsabilidade daquela cagueta no Ugues para a bomba mãe já é demais né? Tudo bem que agente não está mais em idade de acreditar em fábulas ou personagens infantis, mas que era o Dumbo que estava em cima daquela árvore e te presenteou com aquela merdalhança toda isso ninguém pode negar. E olha que foi engraçado pra cacete! Pronto praguejei!!!

12:25 PM  
Anonymous tatilinda said...

falken...
invadi seu blog :0)
morri de rir com o lance das pombas!
realmente eu também as odeio!
uma vez na disney lembro que uma pomba (ou será que foi algo do tipo gaivota?) enfim deu um rasante e pegou a salsicha do meu cachorro quente!tem noção?
uma filha da puta...
eu tenho blog também porém é cheio de expressões do tipo 'putz'...
hahahaha... acho que vc iria detestar!
bjo!

1:48 PM  
Anonymous Anônimo said...

FOI UMA APOSTA, POMBAS. A MELHOR FRASE DE TODOS OS TEMPOS...AHAH

ASH

2:42 PM  
Anonymous Jaga! said...

Pombas Bloka, vc não sabe o nome do som emitido pelos corvos ?!?!? Vai se ferrar ! Putz, quando um corvo emite um som ele está crocitando, grasnando ou corvejando, as três formas estão corretas.

Jaga!

3:42 PM  

Postar um comentário

<< Home